BIO

BandeiraENG.png

Estação Ferroviária de Jundiaí, anos 60

 

Origens no interior paulista

 

Claudio Nucci nasceu no dia 9 de junho de 1956 em  Jundiaí - SP e desde cedo  interessou-se pela música, por influência de seus pais, oriundos de famílias em que a música sempre foi cultivada.

Suas referências musicais são ligadas à intuição pura e à memória de tudo que ouviu desde esse tempo, como a música do interior de São Paulo e Minas, as valsas, que ouvia tocadas ou cantadas por seus avós, as modinhas brasileiras e a música clássica. Mas foi o repertório dos Festivais do final dos anos 60, que lançaram compositores da geração  de Chico Buarque, Edu Lobo, Caetano Veloso e Gilberto Gil, que deu-lhe "o click" pra  saber mais sobre a nova música brasileira que estava surgindo. Começou a tocar, cantar e compor aos 12 anos de idade em Campinas, onde viveu até os 15 anos, quando mudou-se  com a família para o Rio de Janeiro.

Grupos Semente e Cantares, anos 70

 

Início musical no Rio de Janeiro
 

No Rio, tomou contato com outros – e fundamentais – trabalhos de grande importância que ouviu, tais como os de Tom Jobim, Dorival Caymmi, Carlos Lyra, Paulinho da Viola e descobriu  também Francis Hime, Joyce, Dori Caymmi, Milton Nascimento e o "Clube da Esquina", o que foi definitivo para o complemento de sua formação inicial. Participou de festivais entre 1971 e 1974 e fez uma viagem com um grupo musical do Colégio Rio de Janeiro em 1975. Em 1976, fez seu primeiro show solo, ao lado de Zé Luís Oliveira. Mú Carvalho, Cláudio Infante, Mauro Assumpção e Fernando Barroso. Em 1977, fez parte do grupo "Semente" com Zé Luís Oliveira, Mário Adnet, Cláudio Infante, Márcio Resende, Paulinho Soledade e Ricardo Mará.  O "Semente" contou, em seu curso breve mas importante, com participações de amigos da cena musical carioca, como Alberto Rosenblit, Mú Carvalho, Candinho, e os ex integrantes do grupo "Vímana", Lobão e Lulu Santos. Nessa época foi que fez também alguns shows com o grupo Cantares, onde trabalharam Zé Renato e Juca Filho, estreitando os laços de parceria.

Boca Livre Original, 1978

 

Carreira Profissional
 

Em 1978 fundou com Zé Renato, Maurício Maestro e David Tygel, o quarteto vocal Boca Livre, que lançou com grande sucesso seu álbum de estreia. Em 1980 gravou seu primeiro disco solo pela EMI Odeon (o Compacto "Quero Quero"), depois seu primeiro álbum, um LP. Após isto, outros dois discos em 1983 ("Volta e Vai") e 1984 ("Melhor de Três"). Em 1985, fez um disco em dupla com Zé Renato ("Pelo Sim, Pelo Não"). Em 1988, também com Zé Renato e mais: Ricardo Silveira, Zé Nogueira, Marcos Ariel, Jurim Moreira e João Baptista, fundou a banda "Zil", que lançou um álbum e voltou às atividades recentemente. Lançou com  o grupo "Nós e Voz, o CD "Ê Boi" e depois outros álbuns solo, como "Casa da Lua Cheia", "Ao Mestre, Com Carinho", "Noel, Nelson & Nucci" e "Claudio Nucci Revisita Caymmi". 

Esteve novamente em outra formação do Boca Livre, participando do CD "Mundo", de Ruben Blades, de 2000 a 2003. Como intérprete convidado, Nucci participou de discos de Edu Lobo e Chico Buarque, Guinga, SongBooks de Dorival Caymmi, Tom Jobim, Ary Barroso, Djavan e Chico Buarque, bem como no CD premiado com o Grammy-93, “Brasileiro”, de Sergio Mendes, ao lado de Guinga e Carlinhos Brown.

Como compositor, já foi interpretado por Nana Caymmi, Emilio Santiago, Simone, Eliane Elias, Roupa Nova, Cesar Camargo Mariano, Zizi Possi e outros.                        

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now